QUERO RECEBER NOTÍCIAS

Preencha os campos abaixo e cadastre-se para receber notícias em seu email:
CADASTRE-SE
Rádio Santa Cruz Rádio Santa Cruz Ao Vivo - Ouça a Rádio Santa Cruz AM
Atendimento ao ouvinte: 37 3232 1588

Pará de Minas em destaque

Juiz avalia a reforma trabalhista como tímida, mas acredita que ainda assim ela vai aumentar o número de empregos

17/07/2017

Há 0 comentários para essa notícia.

Highslide JS

A reforma trabalhista no Brasil vai entrar em vigor daqui a quatro meses. Já sancionada pelo presidente Temer ela continua gerando polêmica, pois enquanto os empresários elogiam a iniciativa, os trabalhadores se sentem prejudicados.

As discussões ficam mais acaloradas com a reação dos sindicatos de classe, que deixarão de ter receita garantida com o fato de a contribuição sindical tornar-se opcional. Especialistas do assunto também divergem em relação a outras questões, entre elas o trabalho intermitente.

O governo já adiantou que algumas mudanças serão votadas pelo Congresso. Entre elas, o veto à contratação de autônomo exclusivo. Também vai mudar a regra sobre trabalho insalubre para grávidas. Em relação aos outros pontos da nova legislação, fica tudo como está.

O Jornal da Manhã ouviu o juiz do Trabalho de Pará de Minas, Weber Magalhães Pinto, e ele se manifestou amplamente favorável à reforma. Acredita que dentro das novas relações será possível aumentar o número de empregos no país. Disse também que a reforma veio um pouco tímida:

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pará de Minas a reforma também foi tímida, ainda mais levando em consideração que estava completada ultrapassada.

Mas João Bosco Silva defende que antes dela deveria ter acontecido a reforma tributária, já que o excesso de impostos que se paga no país é o verdadeiro vilão do mercado.

Mesmo assim ele enxerga benefícios na reforma já sancionada pelo governo, apesar de achar que num primeiro momento os trabalhadores terão dificuldade em negociar diretamente com os patrões:

A previsão de João Bosco é acertada porque o Jornal da Manhã foi às ruas para fazer uma enquete e apurou que a grande maioria dos trabalhadores vai parar de contribuir com os sindicatos:

Segundo especialistas o caminho para a sobrevivência dos sindicatos vai passar pela fusão das entidades de classe, medida que agregaria forças.

Aqueles que conseguirem ampliar a prestação de serviços também sobreviverão, tais como convênios e vantagens afins. Saiu a anistia para os inadimplentes com a Fazenda estadual.



Há 0 comentários. Comente essa notícia.


Veja também



 1 2 3 4 5 6 Fim




Seja o primeiro a comentar

Escreva as letras correspondentes à imagem abaixo:

Rádio Santa Cruz AM
Avenida Presidente Vargas, 372 - Pará de Minas - MG - Brasil
Fone: (37) 3232-1588 - Email: comercial@santacruzam.com
Agência Treis © Copyright - 2011 - Todos os direitos reservados - Atualizações Rádio Santa Cruz AM. Desenvolvido por: