QUERO RECEBER NOTÍCIAS

Preencha os campos abaixo e cadastre-se para receber notícias em seu email:
CADASTRE-SE
Rádio Santa Cruz Rádio Santa Cruz Ao Vivo - Ouça a Rádio Santa Cruz AM
Atendimento ao ouvinte: 37 3232 1588

Pará de Minas em destaque

Motoristas se mobilizam para mostrar que acúmulo de função não prejudica o trabalho

13/01/2018

Há 0 comentários para essa notícia.

Highslide JS

A polêmica em torno da presença do cobrador nos coletivos da Turi ganhou mais um capítulo. É que os motoristas estão se posicionando contrários à maré de reclamações sobre a falta desse profissional em algumas linhas e deixaram claro que o auxílio é dispensável. 

O assunto ganhou maior destaque nesta semana após um ônibus cair de uma trincheira de quase seis metros, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte. O acidente, que deixou dez feridos, foi provocado porque o motorista desviou atenção do trânsito para apartar uma confusão no interior do veículo, uma vez que a linha não tinha cobrador.

Como em Pará de Minas a falta desse profissional foi tema até de projeto de Lei aprovado na Câmara Municipal o presidente do Sindicato dos Motoristas, Francisco Ferreira Borges, cobrou do poder público a fiscalização nas linhas da Turi fazendo cumprir a lei.

O apelo do sindicalista ganhou força com as diversas reclamações registradas em Pará de Minas de usuários do transporte urbano, que temem algum acidente nas linhas que rodam sem o cobrador. Algumas pessoas chegam a dizer que os motoristas é quem são penalizados com o acúmulo de responsabilidade.

Porém, essa não parece ser a posição dos condutores. Como é o caso de Poliana Caldeira, José Carlos Miranda Dias e Hirly Machado, que trafegam sem auxílio do cobrador. Segundo eles a cobrança da passagem não interfere na atenção ao trânsito, pois eles fazem o serviço antes de arrancar o veículo. 

Eles confirmaram que os cobradores foram retirados das linhas de menos movimento e admitiram que a presença deles não é necessária. Acompanhe os depoimentos de José Carlos e Hirly Machado. 

Os motoristas também falaram sobre o atraso dos ônibus. De acordo com Poliana Caldeira e Hirly Machado, muita gente acha que o fato do condutor fazer a cobrança da passagem resulta na demora das linhas, o que segundo elas é mentira. Para as duas, o trânsito paraminense é o grande responsável por isso. 

O tempo médio para os ônibus completaram a linha é de 50 minutos. Vale destacar que eles têm de transitar em velocidade média de 40 km/h.




Clique nas fotos para ampliar

Há 0 comentários. Comente essa notícia.


Veja também



 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Fim




Seja o primeiro a comentar

Escreva as letras correspondentes à imagem abaixo:

Rádio Santa Cruz AM
Avenida Presidente Vargas, 372 - Pará de Minas - MG - Brasil
Fone: (37) 3232-1588 - Email: comercial@santacruzam.com
Agência Treis © Copyright - 2011 - Todos os direitos reservados - Atualizações Rádio Santa Cruz AM. Desenvolvido por: